Município de Pirambu, estado de Sergipe (SE)

Na Agricultura, há cultivo de diversos produtos, destacando-se as atividades de subsistência. Os principais produtos são o coco-da-baía, a mandioca e a mangaba.



Mais sobre :


Maior laranja do Brasil
Município Pirambu
Unidade federativa SE  (25 )
DDD 79
Estado Sergipe
Cep Inicial 49.190-000
Cep Final 49.190-000
Latitude -10,7300
Longitude -36,8500
Altitude 4
Area KM² 199,2
Codigo Correios 8826
Codigo IBGE 280530
Censo Demográfico IBGE
Ano Masc Fem Total % Var.
1996 2993 2953 5946  
2007     8227 38,36 %
2010        
Pirambu é um município brasileiro do estado de Sergipe.

História

O povoado se iniciou em 1911 com índios da região e depois por uma colônia de pescadores semi-nômades que firmaram no local.

Um ano depois foi construída uma igreja que ganhou a imagem de Nossa Senhora de Lourdes tornando-se padroeira do povoado.

Em 1950, iniciava a luta dos habitantes pela emancipação política que aconteceu em 1963.

Com o golpe militar de 1964, Pirambu perdeu sua emancipação por causa da cassação dos mandatos de Nivaldo Santos, responsável pelo projeto.

Geografia

Para chegar a Pirambú é só atravessar o rio Sergipe na Ponte João Alves (Aracaju/Barra dos Coqueiros) e seguir pela SE-100, em um percurso de cerca de 25 quilômetros e aproveitas as paisagens lindas de dunas, praias e manguezais ou pela BR-101, no acesso a Japaratuba e roda 22 quilômetros e ainda por Carmópolis.

Localização

Pirambú está localizado no litoral sergipano, em sua porção centro-oeste e tem uma área territorial de 218 Km2. Pirambú encontra-se a 2 metros de altitude. Seus limites são ao Norte – Pacatuba, ao Sul – Santo Amaro das Brotas e Barra dos coqueiros, a Leste – Oceano Atlântico e a Oeste – Japaratuba e Carmópolis.

Povoados

Lagoa Redonda, Maribondo, Alagamar, Aguilhadas, Aningas. Baixa Grande, Água Boa, Bebedouro, Lagoa Grande.

Relevo

A maioria de suas terras planas ou ligeiramente onduladas dominam o relevo do município ao sul. A topografia apresenta poucas elevações, estando suas altitudes oscilando entre 0 e 100 metros.

Hidrografia

O Japaratuba é o principal rio do município, tendo ainda os rios Pomonga, Sapucaia e Brito. Destacam-se ainda as lagoas, como a de Pirambú, Catu, Camurupim, Titaras, Redonda, Grande, Seca, Santa Isabel e a do Sangradouro, a maior de Sergipe, desaguando no Oceano Atlântico, no povoado Lagoa Redonda. Clima: O clima quente, com temperatura média anual de 28°C. apresenta um período chuvoso, que vai de março a agosto.

Vegetação

É composta de uma vegetação litorânea muito variada, nas praias predominam os coqueiros e uma vegetação rasteira, com campos de dunas, matas de restinga e manguezais.

Economia

Na Agricultura, há cultivo de diversos produtos, destacando-se as atividades de subsistência. Os principais produtos são o coco-da-baía, a mandioca e a mangaba. Na Pesca, Pirambú é um dos maiores centros pesqueiros de Sergipe, O camarão é exportado para diversas cidades. Na Pecuária encontramos pequenas criações de bovinos, ovinos, suínos, eqüinos, nuares, asininos, caprinos e galináceos.

O nome Pirambú vem de um peixe bastante comum na região, e originou-se de uma pequena colônia de pescadores que viviam basicamente da cultura da mandioca, do milho, do feijão e da batata-doce, bem como da pesca nos rios, lagoas e da beira da praia. “Segundo a ictiologia, Pirambú é um peixe teleóstico, percomorfo, das famílias dos pamadasídeos, h. plumiere (lac) de cor bronzeada, com listas azuis apenas na cabeça e parte anterior do corpo. Há quem afirme que Pirambú era o nome do cacique de uma tribo que habitou a antiga povoação” (MENDONÇA, 2002: 339). Como os demais municípios localizados entre os rios Sergipe e o São Francisco, Pirambú teve seu território constituído a partir da distribuição da Sesmaria por Cristóvão de Barros ao seu filho, Antônio Cardoso de Barros, em 1590, logo após a conquista de Sergipe, cujo marco se deu em 1575, quando foram derrotados os índios que habitavam a região Sul do Capitania de Sergipe Del Rey. O litoral de Sergipe era habitado pelos índios tupinambás e caetés, os quais povoaram as terras que mais tarde seriam chamadas de Pirambú, localizada entre a ilha de Santa Luzia e a Ponta dos Mangues, e a região de Ponta dos Mangues, onde seriam edificados os municípios de Barra dos Coqueiros e Pacatuba respectivamente. A atividade comercial era desenvolvida na base da troca. A pesca, principal atividade econômica de subsistência era praticada nos rios Japaratuba, Pomonga e em menor volume no Oceano Atlântico. Outra atividade era a caça de animais silvestres, facilmente encontrados na região.

Um grupo de políticos e lideranças da comunidade incorporou o sentimento da população de ver Pirambú independente politicamente de Japaratuba, levantando a bandeira da emancipação política: Dr. Euzápio Linhares, advogado, liderou um movimento do qual fazia parte o senhor João Dória do Nascimento, vereador de Japaratuba com base em Pirambú e Aguilhadas, Manuel Amaral Lemos, produtor rural, Abelardo do Nascimento, pescador, José Lauro Ferreira, camponês-pescador, Xavier dos Santos e outras personalidades lançaram a pedra fundamental para que Pirambú conquistasse sua independência. A Lei Estadual Nº 1.234 de 26 de Novembro de 1963, sancionada pelo então governador João de Seixas Dória (PSD) foi fruto de um Projeto apresentado pelo deputado estadual Nivaldo Santos (PSD). O novo município estava estabelecido nos seguintes limites: ao Norte com Pacatuba, ao Sul com Barra dos Coqueiros, a Oeste com Japaratuba e Santo Amaro das Brotas e a Leste com o Oceano Atlântico. O vereador João Dória do Nascimento saiu extremamente fortalecido deste processo, elegendo-se prefeito de Pirambú e tomando posse no dia 28 de agosto de 1965, após o município ter sido instalado em 8 de agosto do mesmo ano. Seu vice-prefeito foi o jovem Juarez Lopes Cruz, filho do então prefeito de Japaratuba Mário Trindade Cruz.

Atualmente o município de Pirambú é um dos mais proeminentes do Estado, contribuindo para isso suas praias paradisíacas, a Reserva Biológica de Santa Isabel e as transformações ocorridas a partir da administração da segunda metade da década passada. A exploração de petróleo em Pirambú data-se dos anos 70 e em 2002 em águas profundas.

Fonte: Wikipédia

Ver o mapa e satélite da cidade de Pirambu, em tela cheia ...

Sub localidades

Nenhuma sub localidades

Municipios Próximos

General Maynard - SE | Dist. linha reta: Km.
Carmópolis - SE | Dist. linha reta: Km.
Japaratuba - SE | Dist. linha reta: Km.
Olho D´Água Grande - AL | Dist. linha reta: Km.
Rosário do Catete - SE | Dist. linha reta: Km.
Divina Pastora - SE | Dist. linha reta: Km.
Riachuelo - SE | Dist. linha reta: Km.
Nossa Senhora do Socorro - SE | Dist. linha reta: Km.
Laranjeiras - SE | Dist. linha reta: Km.
Siriri - SE | Dist. linha reta: Km.
Aracaju - SE | Dist. linha reta: Km.
Muribeca - SE | Dist. linha reta: Km.
Santa Rosa de Lima - SE | Dist. linha reta: Km.
São Francisco - SE | Dist. linha reta: Km.
Japoatã - SE | Dist. linha reta: Km.
Malhada dos Bois - SE | Dist. linha reta: Km.
Areia Branca - SE | Dist. linha reta: Km.
Pacatuba - SE | Dist. linha reta: Km.
Cedro de São João - SE | Dist. linha reta: Km.
Malhador - SE | Dist. linha reta: Km.
Propriá - SE | Dist. linha reta: Km.
Telha - SE | Dist. linha reta: Km.
Porto Real do Colégio - AL | Dist. linha reta: Km.
Nossa Senhora das Dores - SE | Dist. linha reta: Km.
Itabaiana - SE | Dist. linha reta: Km.
São Cristóvão - SE | Dist. linha reta: Km.
Barra dos Coqueiros - SE | Dist. linha reta: Km.
Ilha das Flores - SE | Dist. linha reta: Km.
Campo do Brito - SE | Dist. linha reta: Km.
Moita Bonita - SE | Dist. linha reta: Km.