Município de Apucarana, estado de Paraná (PR)

Cidade de destaque nacional como pólo na área de brindes, principalmente na fabricação de bonés, que gera milhares de empregos...



Mais sobre :


Maior picolé do Brasil
Município Apucarana
Unidade federativa PR  (18 )
DDD 43
Estado Paraná
Cep Inicial 86.800-000
Cep Final 86.815-999
Latitude -23,5500
Longitude -51,4500
Altitude 820
Area KM² 556,8
Codigo Correios 5780
Codigo IBGE 410140
Censo Demográfico IBGE
Ano Masc Fem Total % Var.
1996 49597 51486 101083  
2007     115323 14,08 %
2010        
Apucarana é um município brasileiro do estado do Paraná.

História

A região onde localiza-se Apucarana foi colonizada pela Companhia Inglesa de Terras Norte do Paraná, a exemplo de Londrina e Maringá.

Os colonizadores teriam chegado por volta de 1930. No ano de 1938, Apucarana foi elevada à categoria de vila. Em 28 de janeiro de 1944, Apucarana foi elevada a município, sendo seu primeiro prefeito o coronel Luís José dos Santos.

Em função do sucesso econômico dos anos 40 a 70, obtido graças aos ciclos madeireiro, cafeeiro e da atividade comercial cerealista, a cidade rapidamente se tornou um centro comercial dinâmico, referência de serviços e comércio de bens de todo o vale do Ivaí (na época uma próspera região agrícola) e dotada de uma ampla rede bancária. A base econômica do desbravamento foi a atividade madeireira, que representou o berço da atividade industrial da cidade e abriu espaço para a agricultura. Como a vegetação nativa era formada por mata Atlântica, rica em madeiras nobres como araucária, peroba, jacarandá, dezenas de serrarias, na época movidas a vapor, instalaram-se na cidade e com isso a migração de profissionais de outros estados da nação acentuou-se. Daí notamos a presença de imigrantes paulistas, mineiros, baianos e até mesmo alemães, japoneses, ucranianos, poloneses e portugueses, entre outros.

Ao mesmo tempo em que entrava em declínio gradual a exploração da madeira, se instalou a cafeicultura e o comércio de grãos. Nesse momento, o fato de ser muito bem servida de opções de transporte contribuiu estratégicamente para seu desenvolvimento. A cidade servia como um entroncamento rodoviário e férreo, convergindo o transporte da produção agrícola de todo o norte do Paraná para os canais exportadores de Santos e Paranaguá. Em meados dos anos 70, Apucarana contava com uma emissora de televisão, dois cinemas (uma sala de grande porte), sete hospitais ou clínicas, duas emissoras de rádio, dois jornais, uma instituição de ensino superior, uma de ensino técnico, três escolas privadas de ensino médio e ao menos duas públicas também de ensino médio. Chegou a contar com vôos diretos semanais para São Paulo nos anos 60.

A prosperidade, porém, sofreu um profundo impacto do fim do ciclo cafeeiro, precipitado finalmente pela desastrosa geada de julho de 1975. O fim da atividade cafeeira intensiva desempregou a grande população rural associada a ela, e em poucos anos o núcleo urbano (até então com 60 mil habitantes) quase dobrou de população, chegando a se favelizar.

Pequena demais para receber atenção da esfera estadual e federal, mas desenvolvida o suficiente para atrair a população rural desempregada da região, Apucarana teve de arcar com os custos do êxodo rural da mesma forma que as cidades maiores, mais capazes de absorver população sem seqüelas. No entanto, enquanto Londrina já se valia de suas vantagens de centro urbano de porte médio e Maringá florescia na esteira do ciclo da soja e da agricultura mecanizada, Apucarana, de relevo acidentado, teve de se dedicar a uma agricultura menos rentável, do feijão e do milho, e tentar, sem o devido lastro de investimentos, criar uma base competitiva para a industrialização. O poder municipal concentrou todos seus esforços na criação de redes de amparo social e de núcleos de moradia popular. Tal esforço pode ser considerado surpreendentemente bem sucedido como política urbana (não há favelas na cidade hoje), porém, não deixou de ter custos e reduziu o apoio às políticas de desenvolvimento econômico.

No exato momento que uma geração de recursos humanos de qualidade estava pronta para retornar à cidade (os primeiros universitários, estudando em São Paulo, Londrina e Curitiba), sua terra natal já não lhes oferecia condições de crescimento proporcionais a seus investimentos. Iniciou-se o êxodo de suas elites para os grandes centros, ao mesmo tempo que um número expressivo de trabalhadores agrícolas emigrava para o centro-oeste brasileiro e para Rondônia. Um ciclo vicioso se estabeleceu e ocorreu uma vertiginosa queda da atividade econômica e da renda per capita. Apucarana perdeu não só importância econômica, deixando de ser atraente para os investidores (mesmo os locais), mas também política, viu a vizinha Arapongas crescer e rivalizar mais concretamente nesses campos. A cidade deixou de eleger diversas vezes representantes na assembléia estadual e poucas vezes contou com deputados federais. Diferente de outras cidades da região, manteve uma grande proporção de residentes oriundos de outras comunidades em relação aos cidadãos natos, uma prova de que manteve uma lógica de êxodo, mais expressiva nas camadas socioeconômicas mais elevadas, associada à constante chegada de novos habitantes. Na última década voltou a ter um ritmo de lenta retomada do desenvolvimento, com alguns sinais de recuperação empresarial e com iniciativas industriais, ainda se situando entre os 20 mais ricos municípios do estado do Paraná. Em termos urbanísticos, tem a melhor infraestrutura entre as cidades do mesmo porte do norte paranaense, um legado de longo esforço de superação e de uma história de prosperidade, que seus habitantes esperam reviver.

Economia

Agricultura

Café
Mesmo com o declínio após a ciclo de geadas de 60 e 70, o café ainda é um importante produto agrícola da região, sendo ainda o que mais gera renda na atividade agrícola do município.

Soja, feijão e milho
Com uma área menos expressiva que em outros municípios, que fosse adequada para o plantio, mesmo assim a soja ocupa um lugar de destaque na agricultura, sendo apenas lentamente superada pelo milho em anos recentes. O feijão, por ser cultura de rápido desenvolvimento, é plantado em alternancia com as demais culturas.

Indústria
Cidade de destaque nacional como pólo na área de brindes, principalmente na fabricação de bonés, que gera milhares de empregos. Centro de Produção e Industrialização de derivados de milho que abastece diversas cidades do país. Centro de industrialização de couro que gera milhares de empregos, diretos e indiretos e têm seus produtos exportados para diversos países, responsável pela quase totalidade da exportação desse produto pelo Paraná e por 3% do total brasileiro.

Boné
Sendo o destaque da economia do município, o boné, é responsável pela geração de cerca de 6 mil empregos diretos e 4 mil empregos indiretos. Com uma produção de aproximadamente 2 milhões de bonés por mês a cidade é responsável por 80% da produção nacional, consolidando-se como a capital nacional do boné.

Rodovias

PR-170
BR-376 *Rodovia do Café
BR-369

Clima

Média anual: 20,3º
Máxima: 26ºC
Minima: 14,7º C
Densidade pluviométrica: 1545mm3 (2003)

Segurança

Sede do 10º Batalhão da Polícia Militar. Sede do 30º Batalhão de Infantaria Motorizada, conhecido como o "30 BIM".

Turismo

Catedral Nossa Senhora de Lourdes
Localizada na moderna e ampla praça Rui Barbosa, inspirada nas Piazzas italianas, a catedral é realmente imponente, sendo a sua nave interna a maior entre todas as igrejas paranaenses. Em seu interior vale a pena observar as pinturas da via crucis e o cenário do cortejo do cristo ascendendo aos céus.

Praça Rui Barbosa
Além de ser o local da catedral, a praça ainda conta com o espaço comunitário e o platô, hoje em forma de teatro de arena, no passado frquente palco de shows das bandas da cidade.

Pintura onça
Localizado no calçadão Valmor Santos Giavarina (antigo Antônio Três Reis de Oliveira),no centro da cidade, ao lado Catedral Nossa Senhora de Lourdes é uma pintura feita na parte lateral do edifício Ariane, 150, possuindo também como atração a cascata artificial.

Pedras de Cambira
Localizado na divisa de Apucarana e Cambira (16km), Rodovia do milho(11km), entrada à esquerda, + 1km e trilha à esquerda, totalizando aproximadamente 32km do centro da cidade.

Parque Ecológico da Raposa
Localizado na Gleba do Schimidt, região norte da cidade, tem acesso a partir SESI, seguindo a r. Benoni, r. Rodrigues Moreira e r. Yoshinori Fukushima.

Queda d´água
Localizado perto da Vila Rural, com acesso pelo Distrito de Caixa de São Pedro, pela PR 444(3km de Mandaguari), entrando à direita após a placa do Ribeirão dos Dourados, estrada secundária de terra à direita, 1km por trilha de mata fechada.

Bosque municipal (Parque das Aves) Situado na rua Clóvis da Fonseca, região central, tem acesso de ônibus sentido CENTRO/JOÃO GOULART ou JARDIM DAS FLORES. Possui playground, churrasqueiras, sanitários e viveiros de aves. Conta atualmente com animais: Bugios, Arara Canindé, Arara Vermelha, Sagüis, Tucanos, Corujas,Pato,Ganso, Macaco Prego,Jabotis,Cágados,Araçari,Pavão,Siriema entre outros...

Lago Jaboti
O Lago Jaboti foi inaugurado em 30 de janeiro de 1983. A obra foi executada pela Construtora Malachias Ltda., projeto executivo do engenheiro Vicente Alexandrino de Sousa Loiola e engenheiro Wanderlei Roberto Mello. A área do lago abrange 150 mil metros quadrados, com comprimento de 700 metros e largura média de 200 metros. O volume de água é de cerca de 757 mil metros cúbicos, sendo abastecido palas nascentes dos seguintes rios: Ribeirão Barra Nova, Córrego Jaboti e Córrego Água da Lagoa. A barragem para formação do lago foi construída junto ao vale do Ribeirão Barra Nova, com altura de 23 metros; comprimento da crista de 16 metros; largura da base de 155 metros. O local de vazão da barragem está situado na porção sul do lago. As margens ao entorno do lago possuem área arborizada, com pista para caminhantes, obras públicas, campos esportivos, lanchonetes além da Associação Cultural e Esportiva de Apucarana (Acea), sendo toda esta área limitada pela Avenida Jaboti. Por motivo de vandalismo há quatro anos o lago foi totalmente esvaziado quando uma de suas tubulações de vazão estourou, mas o lago foi recuperado, embora sem algumas de suas atrações como a ilha ao centro do lago..

Parque Ecológico Santo Expedito
Aproveitando as belezas naturais, o clima e a posição geográfica do município, Apucarana transformou um local de erosão em um parque temático religioso. Trata-se do projeto de recuperação e preservação da nascente do Córrego Jaboti, que culminou no Parque Ecológico Santo Expedito. Desde meados de 2004, todos os dias 19, centenas de fiéis de Apucarana e região participam de Santa Missa (ao ar livre) em homenagem ao Santo. O parque é o marco inicial de implementação do “Caminho das Águas: Circuito da Fé”, que visa unir religiosidade e meio ambiente de forma harmônica. Todo dia 19 de abril é realizada a Festa Nacional de Santo Expedito, atraindo fiéis de todas as partes do País.

Santuário de São José
Reconhecida e respeitada em todo o Paraná por sua tradicional devoção católica, a cidade de Apucarana tem o privilégio de ser a sede do primeiro e único Santuário de São José no País. Instalado oficialmente em 2001, tem atraído milhares de fiéis. O maior número de devotos é registrado no mês de março, quando da realização da Festa de São José (padroeiro dos artesãos). A rotina da cidade é quebrada com muita alegria e religiosidade. Durante os dias de festa, os devotos conhecem mais sobre a vida de São José. Missas temáticas, pregações, livros e filmes ajudam nesse ponto. Igreja dos padres Josefinos (Oblatos São José). Situa-se na rua Dom José Marello.

Cachoeira do rio Cerne
Com acesso à partir do aeroporto, 16km, estrada do rio Cerne. Pertencente propriedade particular, faz divisa com Londrina.

Festa da cerejeira
Todos os anos milhares de pessoas comparecem à Associação Cultural e Esportiva de Apucarana (Acea) para, em um grande evento, promover a integração da comunidade nipo-brasileira da cidade e região. Na tradicional Festa da Cerejeira, muitas são as opções de diversão e concretização de negócios. A extensa programação inclui, entre outras coisas, praça de alimentação, feiras da indústria, comércio e construção civil, atrações artísticas, exposição de veículos nacionais e importados. O evento perpetua a cultura japonesa, como a realização de ikebanas (arranjos florais), por exemplo. A florada da cerejeira em Apucarana teve início com o plantio de 100 mudas da árvore pelo Matsumikai - grupo dos idosos da Associação Cultural e Esportiva de Apucarana (Acea).

Ferra Mula
A Associação Filantrópica Ferra Mula também é parte da história de Apucarana. Tradicionalmente todas as quartas-feiras, são realizadas deliciosas costeladas. Fundada em 1958, o Ferra Mula é aberto apenas ao público masculino. As costeladas reúnem, em média, 300 pessoas por semana, sendo vendidos quase 600 quilos de carne. Os recursos obtidos vão para entidades que auxiliam pessoas pobres.

Templo Budista Apucarana Nambei Honganji
Graças aos esforco da comunidade Japonesa de Apucarana.

Associação Cultural Esportiva de Apucarana (ACEA)
Florada em junho, julho e raramente até agosto

Site da Prefeitura: http://www.apucarana.pr.gov.br/

Fonte: Wikipédia

Ver o mapa e satélite da cidade de Apucarana, em tela cheia ...

Municipios Próximos

Cambira - PR | Dist. linha reta: Km.
Arapongas - PR | Dist. linha reta: Km.
Califórnia - PR | Dist. linha reta: Km.
Sertanópolis - PR | Dist. linha reta: Km.
Jandaia do Sul - PR | Dist. linha reta: Km.
Mandaguari - PR | Dist. linha reta: Km.
Novo Itacolomi - PR | Dist. linha reta: Km.
Rio Bom - PR | Dist. linha reta: Km.
Prado Ferreira - PR | Dist. linha reta: Km.
Marumbi - PR | Dist. linha reta: Km.
Marilândia do Sul - PR | Dist. linha reta: Km.
Sabáudia - PR | Dist. linha reta: Km.
Rolândia - PR | Dist. linha reta: Km.
Marialva - PR | Dist. linha reta: Km.
Ibiporã - PR | Dist. linha reta: Km.
Bom Sucesso - PR | Dist. linha reta: Km.
Cruzmaltina - PR | Dist. linha reta: Km.
Kaloré - PR | Dist. linha reta: Km.
Pitangueiras - PR | Dist. linha reta: Km.
Cambé - PR | Dist. linha reta: Km.
Tamarana - PR | Dist. linha reta: Km.
Jaguapitã - PR | Dist. linha reta: Km.
Borrazópolis - PR | Dist. linha reta: Km.
Sarandi - PR | Dist. linha reta: Km.
Astorga - PR | Dist. linha reta: Km.
Londrina - PR | Dist. linha reta: Km.
Faxinal - PR | Dist. linha reta: Km.
Mauá da Serra - PR | Dist. linha reta: Km.
Santa Fé - PR | Dist. linha reta: Km.
Rancho Alegre - PR | Dist. linha reta: Km.

Bairros

Bairros da cidadeCep inicialCep final
Barra Funda 86.800-180 86.800-610
Centro 86.800-005 86.809-140
Chácara Mate Amargo 86.803-630 86.803-645
Cidade do Trabalho - IBC 86.803-670 86.803-689
Colônia dos Novos Produtores 86.801-680 86.801-720
Jardim Aclimação 86.808-270 86.811-020
Jardim Aeroporto 86.812-400 86.812-609
Jardim Albino Biachi 86.802-100 86.802-140
Jardim Alvorada 86.805-080 86.805-220
Jardim América 86.805-315 86.807-370
Jardim Amizade 86.805-410 86.805-419
Jardim Apucarana 86.804-000 86.808-015
Jardim Aviação 86.812-510 86.812-545
Jardim Bela Vista 86.811-350 86.811-370
Jardim Catuaí 86.802-605 86.802-618
Jardim Catuaí II
Jardim Catuaí III 86.802-625 86.802-639
Jardim Celmira 86.808-220 86.808-240
Jardim Cidade Alta 86.803-250 86.803-420
Jardim Colonial II 86.812-540 86.812-559
Jardim das Flores I 86.810-000 86.810-340
Jardim das Flores II 86.810-370 86.810-380
Jardim das Flores III 86.810-300 86.810-360
Jardim das Flores V 86.810-390 86.810-400
Jardim das Laranjeiras
Jardim Diamantina 86.804-010 86.804-410
Jardim Eldorado 86.802-410 86.802-680
Jardim Espanha 86.802-015 86.802-026
Jardim Esperança 86.810-150 86.810-320
Jardim Europa 86.802-640 86.802-640
Jardim Figueira 86.801-350 86.801-670
Jardim Flamingos 86.811-210 86.811-500
Jardim Guanabara 86.809-070 86.809-170
Jardim Guarujá 86.807-420 86.807-440
Jardim Iguatemi 86.810-050 86.810-130
Jardim Independência 86.811-140 86.811-390
Jardim Kiri 86.802-720 86.802-750
Jardim Laranjeiras 86.811-160 86.811-200
Jardim Marabá 86.808-260 86.808-260
Jardim Marissol 86.807-520 86.807-630
Jardim Marissol II 86.807-640 86.807-650
Jardim Menegazzo 86.802-000 86.802-620
Jardim Monções 86.807-200 86.807-410
Jardim Morada do Sol 86.811-080 86.811-420
Jardim Morumbi 86.802-335 86.802-650
Jardim Ouro Verde 86.805-215 86.805-230
Jardim Paineiras I 86.802-085 86.802-085
Jardim Paraíso 86.807-450 86.812-640
Jardim Paulista 86.808-180 86.811-100
Jardim Pinheiros 86.803-385 86.803-387
Jardim Ponta Grossa 86.804-110 86.807-380
Jardim Portal do Lago 86.802-065 86.802-077
Jardim Presidente Kennedy 86.802-345 86.809-130
Jardim Recanto dos Palmares 86.803-490 86.803-620
Jardim Residencial Franca 86.801-730 86.801-749
Jardim Residencial Garcia 86.807-510 86.807-575
Jardim Santiago 86.812-690 86.812-709
Jardim Santos Dumont I 86.812-560 86.812-579
Jardim Santos Dumont III 86.812-527 86.812-539
Jardim São Pedro 86.802-390 86.809-150
Jardim Tarobá 86.812-180 86.813-566
Jardim Tibagi 86.812-200 86.813-050
Jardim Trabalhista 86.807-000 86.807-400
Jardim Vale do Sol 86.803-060 86.803-130
Lago Jaboti
Loteamento Belvedere 86.813-430 86.813-480
Loteamento Biguaçu 86.808-450 86.809-015
Loteamento Central 86.807-100 86.807-300
Loteamento Domício Scaramello 86.804-500 86.804-500
Loteamento Jardim Gramados 86.801-635 86.801-637
Loteamento Jardim Por do Sol 86.801-465 86.801-469
Loteamento Residencial Cazarin 86.802-415 86.802-437
Loteamento Residencial Miguel Sochacki 86.802-365 86.802-376
Loteamento Residencial Parque da Raposa II 86.812-610 86.812-619
Loteamento Residencial Tami 86.803-285 86.803-286
Loteamento Sanches dos Santos 86.806-570 86.806-606
Loteamento Santa Cândida 86.802-370 86.802-670
Loteamento Santa Maria 86.813-490 86.813-500
Loteamento São Geraldo 86.809-010 86.809-010
Loteamento São Sebastião 86.808-170 86.808-280
Loteamento Sol Nascente 86.801-265 86.801-269
Loteamento Vila das Paineiras 86.802-086 86.802-087
Mutirão Projeto Bóia Fria 86.803-290 86.803-540
Núcleo Habit. Adriano Correia 86.813-000 86.813-279
Núcleo Habit. Afonso Alves de Camargo 86.803-005 86.803-580
Núcleo Habit. Castelo Branco 86.812-300 86.812-399
Núcleo Habit. Colonial 86.812-405 86.812-449
Núcleo Habit. da Fraternidade 86.801-470 86.801-550
Núcleo Habit. das Indústrias 86.806-560 86.806-627
Núcleo Habit. Djalma Mendes de Oliveira 86.806-510 86.806-566
Núcleo Habit. Dom Romeu Alberti 86.806-100 86.806-300
Núcleo Habit. Heitor S Pinheiro 86.805-400 86.806-090
Núcleo Habit. João Goulart 86.807-130 86.807-500
Núcleo Habit. José Mercadante 86.804-520 86.804-550
Núcleo Habit. Marcos Freire 86.805-120 86.805-209
Núcleo Habit. Mathias Hoffman 86.805-350 86.805-390
Núcleo Habit. Michel Soni 86.813-300 86.813-420
Núcleo Habit. Nossa Senhora Aparecida 86.801-395 86.801-409
Núcleo Habit. Osmar G Freire 86.801-580 86.801-650
Núcleo Habit. Papa João Paulo I 86.801-000 86.801-260
Núcleo Habit. Parigot de Souza 86.802-560 86.802-690
Núcleo Habit. Tancredo Neves 86.807-120 86.807-150
Núcleo Habit. Vale Verde 86.805-245 86.805-330
Parque Bela Vista 86.803-000 86.803-530
Parque de Exposições 86.803-470 86.803-470
Parque Industrial Zona Norte 86.800-740 86.806-500
Parque Industrial Zona Oeste 86.802-630 86.802-630
Parque Industrial Zona Oeste II 86.800-760 86.800-999
Parque Industrial Zona Sul 86.810-410 86.810-410
Parque Residencial Milani 86.801-410 86.811-450
Recanto Bom Retiro 86.803-650 86.803-658
Recanto das Araras 86.812-620 86.812-654
Recanto Estoril 86.813-510 86.813-564
Recanto Mundo Novo 86.805-280 86.805-340
Residencial Interlagos 86.802-760 86.802-799
Residencial Itália 86.803-660 86.803-669
Residencial Jaboti 86.800-465 86.800-465
Residencial Parque da Raposa 86.806-465 86.812-679
Residencial Parque da Raposa III 86.812-680 86.812-689
Vila Agari 86.808-100 86.808-420
Vila Andrea
Vila Apucaraninha 86.801-540 86.813-570
Vila Boa Vista 86.810-040 86.810-040
Vila Brasil 86.800-035 86.802-130
Vila Bruna 86.809-090 86.809-090
Vila Country Club 86.808-250 86.808-300
Vila das Lebres 86.800-640 86.800-640
Vila do Colégio 86.808-060 86.808-345
Vila Feliz 86.808-030 86.808-140
Vila Flamboyant 86.804-300 86.804-325
Vila Formosa 86.802-150 86.802-230
Vila Franko 86.802-250 86.802-280
Vila Isabel
Vila Ivone 86.804-280 86.804-340
Vila Martins 86.800-410 86.800-460
Vila Minas Gerais 86.808-000 86.808-470
Vila Monte Castelo 86.808-350 86.808-370
Vila Nossa Senhora da Aparecida 86.801-750 86.810-030
Vila Nossa Senhora da Conceição 86.802-360 86.810-315
Vila Nova 86.812-010 86.812-504
Vila Nova II 86.812-055 86.812-059
Vila Operária 1 86.801-460 86.808-120
Vila Operária 2 86.802-540 86.802-550
Vila Operária Stabile 86.811-050 86.811-340
Vila Presidente Getulio Vargas
Vila Regina 86.801-320 86.801-660
Vila Residencial Isabela 86.812-260 86.812-269
Vila Residencial Isabela II 86.813-580 86.813-589
Vila Residencial Malibu 86.812-270 86.812-295
Vila Rural Nova Ukrania 86.810-420 86.810-470
Vila Santa Helena 86.802-700 86.810-330
Vila Santa Lorena 86.811-480 86.811-490
Vila Santa Rosa 86.811-000 86.811-040
Vila Santa Terezinha 86.802-290 86.802-330
Vila São Carlos 86.800-330 86.800-510
Vila São Francisco 86.800-550 86.813-299
Vila São Jerônimo 86.801-560 86.801-560
Vila São Jorge 86.800-525 86.802-525
Vila São José 86.800-730 86.809-020
Vila São José Bassa 86.808-210 86.809-030
Vila São Miguel 86.812-490 86.812-499
Vila São Paulo 86.800-630 86.802-240
Vila Shangri-La 86.812-000 86.812-489
Vila Social 86.804-420 86.804-490
Vila Vera Cruz 86.804-290 86.804-450
Vila Vitória 86.802-260 86.802-715
Vila Vitória Régia 86.801-270 86.801-310